Como vender seus desenhos

Aprenda a vender a cobrar pelo seu desenho

Você sabe como é difícil.

O amigo pede a você para fazer um desenho para ele, e não quer pagar nada. E você faz, afinal, é só um amigo.

Fenomenal. Porém, lá no fundo, você queria cobrar por desenho. Ter trabalhos de verdade. Viver do que você ama.

Mas você tem medo de cobrar caro e perder seu cliente.

Pior ainda, você talvez ainda não tenha comprador algum. Enfim, você fica com uma pulga atrás da orelha gigantesca e não faz ideia de quanto cobrar por desenho.

Quem sabe, você sente que está perdendo muita energia, mas nunca consegue o que queria.

Conseguiu se identificar com alguma coisa dita aqui?

Então, continue lendo este artigo para saber mais sobre:

  • Porque o amor ao feriado pode ser um sinal de que você é infeliz
  • O troféu de hoje não trará a você o troféu de amanhã
  • Que fazer quando ninguém paga pelos seus desenhos
  • Perseguição: como vender seu peixe
  • Quanto cobrar por desenho

1. Porque o amor ao feriado pode ser um sinal de que você é infeliz

triste-cobrar-por-desenho

Feriado chegando. Uuuufa! Hora de contar os dias.

Afinal, um bom recesso é a melhor solução para combater o estresse da rotina de trabalho, certo?

Errado! Isso é fuga. Claro que não quer dizer que você deva se matar, rodando 24 horas por dia, 365 dias por ano.

A questão é quando você entende o valor de fazer o que você ama, e não vê o tempo passar. Você já não sabe mais se é labor, diversão ou lazer. E não conta as horas para acabar.

Por isso, se você ama mais acordar numa segunda-feira de feirado do que numa sexta-feira de profissão, você, provavelmente, está muito infeliz fazendo o que faz.

Antes de saber o quanto cobrar por seus desenhos, é essencial que você compreenda o valor de fazer o que você gosta.

2. O troféu de hoje não trará a você o troféu de amanhã

“Primeiro, diga a si mesmo o que você deveria ser; depois, faça o que tem de fazer.”
A arte de viver

Você já teve a sensação de suar a camisa e, ainda assim, não avançar em um objetivo? Você não consegue fazer mais do que aquilo e não sabe porquê.

As habilidades que trouxeram você até aqui não irão levar você ao próximo nível.

Certa vez, em uma palestra sobre RH, a psicóloga disse que um rapaz estava reclamando que estava há dois anos na mesma empresa, mas não conseguiu subir uma posição.

Ela ficou curiosa com isso e se surpreendeu ao ver seu currículo. E disse para ele:

“Então, quer dizer que você está insatisfeito com seu emprego atual? Rapaz, você teve dois anos, e não terminou o Ensino Médio, não fez um curso, nem ao menos investiu em algum negócio! Você ainda quer reclamar?”

Duro, eu sei. Mas é verdade. Você quer cobrar por desenho um valor alto, mas só fez um curso de desenho há uns 10 anos atrás, sentou e acomodou?

Talvez, seja a hora de aprender alguma técnica nova, ou começar algum curso de um tipo de desenho que você ainda não domina.

3. Que fazer quando ninguém paga pelos seus desenhos

mulher triste

Já dissemos que existem tipos de clientes que você não quer ter. E alguns deles nunca precisarão de você.

Não tá rolando? Muda de mesa. Saiba que tem muita gente disposta a pagar pelo que você faz. Você só precisa de encontrar essas pessoas. Continue lendo, e você vai descobrir como.

Para cobrar por desenho, você precisa de 3 requisitos:

  1. Tenha um trabalho bacana (ou começar acreditar no seu trabalho)
  2. Começa a mostrar para as pessoas certas.
  3. Não mostrar só para quem irá querer de graça.

Entenda que você terá menos pedidos pagos do que gratuitos. Isso é óbvio. Porém, desenhista, aí que está o segredo: a maior parte do dinheiro que você vai ganhar virá da minoria de seus clientes.

Isso é sério e provado.

No próximo tópico, você irá descobrir onde encontrar seu oásis.

4. Perseguição: como vender seu peixe

portfolio-cobrar-por-desenho

Quantas pessoas viram seu trabalho na última semana?

É estrondosamente importante que você responda a essa pergunta. No entanto, é mais vital ainda que você responda essa outra: para quem você mostrou seus desenhos?

Se a resposta foi amigos, família ou o vizinho ao lado, provavelmente, você não está no caminho certo.

Saiba onde publicar os seus trabalhos. E esse lugar pode ser Instagram, Pinterest ou até Facebook Ads. Tudo funciona, depende do seu público e do seu objetivo.

Todavia, tem algo que você deve começar a fazer hoje, se você ainda não faz, que é perseguir os clientes certas.

1. Pesquise

Pesquise agências de publicidade no estado de seu interesse. Coloca lá no Google “agencia de publicidade em [MG; SP; MS; AC]”.

Você também pode ir a uma biblioteca e anotar os nomes e os endereços dos autores dos livros.

2. Envie seu portolio

Com os dados em mãos, envie seu portolio. Você pode até usar o mesmo texto para diferentes destinatários.

3. Estabeleça metas

Aí é que entra a “perseguição”. Não estou falando de perseguir pessoas, mas de perseguir o seu objetivo e semear, semear e semear, até que entre muitos, você encontre os bons clientes.

Estabeleça um meta de enviar seu portolio para, pelo menos, 5 pessoas ou agências por dia.

“Oi?”

Isso mesmo. O milho não costuma crescer se você não plantar. Mas o louco é que, fazendo isso, você terá mais de 150 prospectos por mês.

E eu G A R A N T O  a você que 90% nem vai abrir o que você enviar! MAS, 10% podem ver.

Imagine se algum deles, na noite anterior, estava pensando “poxa vida, eu precisava tanto de uma ilustração inovadora para o meu livro”. Daí, PIMBA! Ele acorda no outro dia e dá de cara com seu portolio.

De qualquer forma, lembre-se: quem não arrisca não petisca!

Além disso, você pode aproveitar oportunidades do dia-a-dia.

Por exemplo, talvez você conheça algum casal de noivos que esteja prestes a se casar. Como é um momento emocional, eles terão mais vontade de registrar aquele momento. Então, vá e ofereça seu trabalho!

Em sequência, vou falar a respeito de preços.

Ebook Aprenda a Desenhar do zero - Como desenhar o que você quiser

 

Está gostando deste artigo e quer aprender a criar seus próprios desenhos?

Assista ao vídeo e descubra o meu método para desenhar de tudo. Clique para assistir!

 

5. Quanto cobrar por desenho

quanto cobrar por desenho

Algumas pessoas não veem com bons olhos bem esse negócio de receber com arte.

Mas o que eu estou falando é de uma profissão. Se a gente trabalha e vive da arte, nada mais natural do que receber remuneração com o seu ofício.

Definir o preço de um desenho é uma tarefa que depende de algumas variáveis. Seguem elas a seguir:

1. Produto x Serviço, Preço x Valor

Uma folha sulfite costuma ser vendida sempre pelo mesmo preço para todos. Assim também são canetas, lápis e até os programas de edição.

Por quê isso acontece? É porque esses produtos são feitos em série. Possuem um custo fixo de produção e, quando saem da fábrica, têm seu preço tabelado.

Só que existem desenhistas cobram até milhões para desenhar.

E algumas pessoas não entendem o porquê disso. E a resposta é: valor é diferente de preço.

Por exemplo, criar um logo para uma lanchonete do seu bairro é diferente de criar o logo para um produto da Nestlé. O alcance da lanchonete é local; o do Nestlé, mundial.

Quando for cobrar por desenho, analise o tamanho da empresa e o quanto ele irá agregar à empresa.

2. Não caia em uma fria

Algumas empresas procuram trocar o trabalho do desenhista por divulgação.

Furada. Não funciona. Diminui o valor do seu trabalho e, em vez de crescer, você cai.

É mais ou menos assim: você faz uma estampa magnífica para uma empresa grande, e ela paga a você R$ 10. Aí, pode ser que outro cliente descubra isso e contrate você. Mas você pede R$ 100. Provavelmente, ele não irá pagar isso a você!

Cobrando pouco demais ou fazendo de graça o seu trabalho, você pode estar contribuindo para a desvalorização do trabalho de toda a sua classe profissional - que paga impostos e trabalha duro.

Lembre-se de que uma concorrência leal e justa só vai acrescentar ao mercado.

3. Direitos autorais

Esse é o mais importante na hora de cobrar por desenho.

Imagine que você faça a capa de um livro por R$ 1000. Só que, aí, o livro estoura e se torna um best-seller. O autor ganha milhões e você… bem, você só fica com os R$ 1000!

Tem cliente que não entende esse processo, porém é neste momento que você coloca o seu profissionalismo em ação.

Quando for cobrar por desenho, você pode pedir uma porcentagem de retorno e definir como a imagem poderá ser usada - em qual mídia, em qual território e por quanto tempo.

Por exemplo, você pode estabelecer no contrato que a imagem pode ser usada na web pela empresa até 2018.

Você quer ser um profissional do desenho? Então você tem que se tornar um mestre em direitos autorais. Isso valoriza o seu trabalho. Recomendo seriamente que você veja a página da Associação Brasileira dos Ilustradores Profissionais (ABIPRO) e da Sociedade dos Ilustradores do Brasil (SIB).

Conclusão

Fazer o que você gosta não tem preço. Nada paga o fato de você trabalhar sem ver o tempo passar.

Porém, o dinheiro representa mais do que um preço. Ele simboliza o valor do seu trabalho.

Nós queremos saber o que você mais curtiu neste texto, ou saber de alguma dica extra ou crítica sobre o que escrevemos. Deixe seu comentário, falando a sua opinião.

Além disso, gostaríamos de dar a você um eBook de desenho para você começar a rabiscar. É só clicar aqui.

Compartilhe:
Paste your AdWords Remarketing code here